Dançando Entre Lírios mortos,Livro de poesias de Marcos Antônio Filho(Fábrica de livros,15 Reais)
maiores informações em marcos.antoniofilho@gmail.com ou no próprio blog

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Catarse X Técnica ou A antipoesia



Menos catarse, mais técnica!
Chega de arroubos sentimentalistas, poeta!
Você acha que assim vai chegar alguma coisa?
Tudo que você quer dizer já foi dito,
Então diga de outra maneira
Pra que os loucos bebam suas palavras!
Mude o rótulo da garrafa,
Porque sua água sempre terá o mesmo gosto
Insípido e insalubre com gostinho de hortelã.

Menos catarse, menos!
Mais técnica, mais!
Estude, aprenda!
Só os românticos que são assim
Com suas pieguices a perpetuar nos versos pueris!
Um pouco de paralelismo não fará
Mal a sua poesia, ficará
O não dito do que o explícito.

- Catarse!
+ Técnica!
Seja estranho e intolerável,
Faça com que poucos mastiguem seus poemas,
Como escargot e caviar
Faça seu poema valer diante de novidades
Ultrapassadas, de verborragias clássicas
Que sempre os intelectualóides amam
Escreva pra eles, poeta!
É a técnica que vale pra eles!

Foda-se a catarse!
Foda-se a técnica!
Agora são mínimos os lêem
E os que escrevem não gostam de ler,
Só de serem lidos!
Ninguém quer mais saber de sentimentos, poeta!
Se escreve pra se sentir bem, faça um diário!
Não há mais tempo pra sentimentos vagos,
Aliás, quem disse que eles têm tempo pra sentimento?
Eles vivem com pressa, não vão te ler!
Se Não for com técnica, não escreva!
As pessoas não ver e vão preferir que tudo
Fique no limbo: As palavras de amor e ternura, de perda e de ilusão,
Irão todos ficar como gostam:
Aturdidos e alienados longe dos livros e perto da televisão.

2 comentários:

Lidianne disse...

Que bom que lembrou do Trovador de Ilusões, ele é seu verdadeiro lar.

bjao!

Ron Groo disse...

Rapaz!
Pude sentir sua ira e sua indignação.

Os gritos de "foda-se" ecoaram alto e forte em minha cabeça.