Dançando Entre Lírios mortos,Livro de poesias de Marcos Antônio Filho(Fábrica de livros,15 Reais)
maiores informações em marcos.antoniofilho@gmail.com ou no próprio blog

terça-feira, 30 de novembro de 2010

O mundo é um moinho


Seria loucura alguém com tanto talento,ter sido gravado por tantos nomes da década de 30,simplemente sumir e ser em encontrado 20 anos depois lavando carros?É A humildade de um letrista e músico inconfundível em seus versos e além disso,o criador da primeira escola da Samba,Mangueira, em 1928, Cartola.

Que mundo seja grato a Sérgio Porto que o encontrou lavando carros.Já pensou se ele morresse em meio ao sabão dos carros?Nunca se ouviria esses clássicos não só do samba,mas da música popular brasileira como "Alvorada","O mundo é um moinho" e "As Rosas não falam".O Mundo é um moinho é em minha opinião genial,versos como "de cada amor tu só herdarás o cinismo" são magníficos e deixo a letra pra vocês:

Ainda é cedo amor
Mal comecaste a conhecer a vida
Já anuncias a hora da partida
Sem saber mesmo o rumo que irás tomar
Preste atençao querida
Embora saiba que estás resolvida
Em cada esquina cai um pouco a tua vida
Em pouco tempo não serás mais o que és
Ouça-me bem amor
Preste atenção, o mundo é um moinho
Vai triturar teus sonhos tão mesquinhos
Vai reduzir as ilusões a pó
Preste atenção querida
De cada amor tu herdarás só o cinismo
Quando notares estás à beira do abismo
Abismo que cavaste com teus pés.



Dia 11 de outubro foi o centenário de Cartola.Um Gênio da música brasileira,que infelizmente nunca existirá outro igual.

* Repost, já que hoje faz 30 anos de sua morte, nada mais justo do que celebrar esse gênio da música


OBS: Recomendo a leitura do Groo e do Oliver que postaram primeiro sobre Cartola.apreciem a jornada!

Um comentário:

Teca disse...

Parabéns pela linda postagem e pela homenagem merecida!

Grande abraço.